quarta-feira, 10 de agosto de 2011

UM ATENDIMENTO MEDIUNICO



A fascinação ( Esse irmão que vos Relata é Militante da Apometria)

Uma pessoa que conheci pela internet e que “psicografa” msgs de diversos espíritos, leu o post sobre a Confederação Intergalática e me solicitou um atendimento por ter síndrome do túnel do carpo. Quando ela começou a “receber” essas msgs de personagens “famosos” (Chico, Ramatis, Joanna de Angelis, Arcanjo Gabriel, Ashtar Sheran, Sanata Kumara, Deusa Ísis, Say Baba, André Luiz, Eurípedes Barsanulfo, Virgem Maria, Dr. Lacerda, etc., para citar apenas alguns) eu já a alertei de que se tratava de mistificação, mas nesses casos geralmente é inútil pois o médium fascinado não quer ver a realidade, quer se sentir “especial”, geralmente esses médiuns sofrem de um “delírio messiânico”, acreditando-se espíritos missionários com a missão de ajudar os demais, não conseguindo enxergar que não conseguem ajudar nem a si mesmos.

O médium fascinado acredita ser um espírito especial, com a "missão"
 de ajudar na evolução dos demais aqui na Terra, e é incapaz de reconhecer,
devido à sua vaidade e ignorância, que está aqui em razão de um processo kármico como todos nós. Mesmo sabendo que ela estava sob um processo de fascinação eu nada podia fazer para ajudá-la, pois foi uma escolha dela. Entretanto, no momento em que ela me pediu um atendimento, ela “abriu as portas” para que eu pudesse devassar o bando de mistificadores que a acompanhavam. E foi o que fiz.  Logo que ela me enviou o e-mail os espíritos trevosos que a acompanham já começaram a me atacar, me provocando uma forte dor de cabeça.

Quando fizemos o atendimento algumas horas depois, nos desdobramos e fomos parar em um enorme salão, onde se reuniam milhares de espíritos das trevas, um ambiente de energia extremamente densa. Estes espíritos estavam se preparando para aparecerem em locais de reuniões mediúnicas, em templos, centros espíritas, igrejas, etc. Enquanto estávamos ali um deles assumiu a imagem de Allan Kardec, outro de Santa Rita de Cássia, outros assumindo formas de anjos, com aparência angelical, asas, etc.

Havia tbm uma multidão de pessoas encarnadas em desdobramento inconsciente, hipnotizadas, médiuns fascinados que só enxergavam as imagens que as entidades trevosas projetavam em suas mentes vaidosas. A médium estava com dificuldade em permancer ali em função da densidade energética, chegando quase a desmaiar durante o atendimento.

Havia uma espécie de energia viva, com fios vagando pelo ar, como tentáculos, se movendo em várias direções, como que buscando algo. Era a egrégora formada por este grupo das trevas, buscando mentes que se afinizassem com suas vibrações, encontrando eco geralmente em médiuns vaidosos e ignorantes.

Lendo a mente de uma das entidades trevosas que estavam ali se travestindo de seres angelicais, a médium viu que a intenção desses seres era a de aprisionar os espíritos desses médiuns fascinados de tal modo que eles fiquem constantemente desdobrados, para que eles possam, através do processo simbiótico que se forma na fascinação, utilizarem os corpos dessas pessoas como se fossem seus, para agir mais diretamente aqui na nossa dimensão.

Nesse momento a entidade percebeu que sua mente havia sido invadida e localizou a médium e eu, que tbm estava ali desdobrado. A entidade ordenou que as pessoas ali desdobradas nos atacassem  e a multidão de encarnados se projetou em nossa direção. Eu os paralisei e criei uma bolha energética de contenção ao redor deles. Sobre nossas cabeças um bando de enormes morcegos vermelhos tentaram tbm nos atacar, mas os destruí (eram formas-pensamento). As entidades trevosas, que já tentavam fugir, foram presas e lhes ordenei que voltassem à sua forma original.  Eram todos seres maltrapilhos, com seus perispíritos em farrapos, seres escuros e malignos, sendo que em alguns até faltavam pedaços do corpo e outros pareciam estar em decomposição.

Enquanto isso a médium cortava as ligações desses seres com os encarnados desdobrados, os médiuns fascinados. Esses médiuns não são apenas pessoas que frequentam centros espíritas, mas pastores, padres, reikianos, pessoas que bebem chás alucinógenos, etc, enfim, pessoas que possuem mediunidade em grau ostensivo, embora muitas não sejam espíritas, acreditando que enxergam o Espírito Santo, os Profetas, mestres ascencionados, seres de luz, etc.

Nesse momento nossa equipe espiritual chegou para finalizar o serviço, recolher os seres aprisionados e cortar as ligações deles com locais aqui no plano físico. Eu retirei a médium fascianda que me pediu o atendimento do meio das pessoas que estavam ali (que eu havia aprisionado numa bolha) e a levei para ela ver os seres com os quais ela estava conectada, a fim de tentar  lhe "abrir os olhos", e fixei a imagem na mente dela para que lembrasse quando voltasse ao corpo. Ela parecia totalmente abobalhada, como se estivesse sob efeito de alguma droga.

Eu estava lá em desdobramento supraconsciente, ou seja, com acesso a uma parte da minha consciência com um conhecimento bem acima do meu estado normal quando consciente e então pedia a médium vidente que estava desdobrada lá que confirmasse comigo se os problemas de saúde da consulente (tendinite, síndrome do túnel do carpo) eram em função dela estar psicongrafando as msgs desses seres trevosos, pois mesmo meu nível consciente já sabia que era isso, o que eu lá confirmei para a médium.

Eu tbm disse a médium que em uma vida passada a consulente fora um padre, na época da inquisição, e era um fanático religioso, se achando um missionário de Deus, e queimou muitas pessoas em praça pública, acusando-as de serem hereges. A médium chegou a ver essa cena da vida passada da consulente, totalmente ensandecida, gritando que aquelas pessoas iriam arder no fogo do inferno, gritando que iria "cumprir sua missão até o fim", enfim, totalmente perturbado.

Para conseguir se conectar melhor com a consulente, que está num estado que vai além da obsessão complexa, pois na fascinação ocorre uma simbiose entre o obsessor e obsidiado, eles abriram essa frequência de vida passada dela, para que ela voltasse a acreditar que era uma "missionária", reuniram vários daqueles espíritos que ela queimou naquela vida, e através do débito cármico que ela tem como esses espíritos, e usando eles como "ponte vibratória", a fascinaram facilmente.
Esses espíritos que morreram queimados tbm não sáo evoluídos e queriam se vingar dela, mesmo já tendo tido outras encarnacões depois daquela, muitos estavam desencarnados e foi fácil para os mistificadores usá-los, prometendo-lhes vingança. Mas como as trevas sempre agem de modo traiçoeiro, para isso eles recriaram aquela cena, abrindo aquela frequência, e estes espíritos então ficaram aprisionados nela, ardendo em chamas em uma enorme fogueira no meio de uma praça.

Apagamos o fogo e efetuamos o resgate desses espíritos. A consulente tbm estava desdobrada nessa frequência, agindo do mesmo modo, se comprazendo em ver as pessoas queimando e se achando um enviado de Deus. Não tinha muito o que fazer, quando me aproximei ele começou a me excomungar e gritar agitadamente; ordenei que ele se calasse, apaguei sua mente e o mandei de volta pro corpo físico.


O estado de demência espiritual desta médium é tão grande que assim que retiramos esses espíritos outros já se apossaram dela e no dia seguinte fizemos mais um atendimento. Desta vez havia poucos espíritos com ela, menos de meia dúzia, mas estes estavam agindo tbm junto a outros encarnados para que estes me difamassem via internet, falando mal de mim e das coisas que escrevo em comunidades virtuais, grupos de e-mail, blogs, etc.


Mais uma vez resgatamos a tal médium, que estava totalmente perturbada, desdobrada e amarrada por estes outros seres. Prendemos esses outros mistificadores e a mandamos de volta pro corpo, tentando incutir em sua mente que pare de psicografar.

Assim como essa consulente, existem vários médiuns fascinados divulgando essas psicografias em vários blogs pela internet, servindo de porta-vozes para entidades malignas, espíritos que vivem nas trevas e que não querem sair de lá. Kardec já nos alertou para o perigo da fascinação, conforme transcrição abaixo:


"A fascinação tem conseqüências muito mais graves. É uma ilusão produzida pela ação direta do Espírito sobre o pensamento do médium e que, de certa maneira, lhe paralisa o raciocínio, relativamente às comunicações. O médium fascinado não acredita que o estejam enganando: o Espírito tem a arte de lhe inspirar confiança cega, que o impede de ver o embuste e de compreender o absurdo do que escreve, ainda quando esse absurdo salte aos olhos de toda gente. A ilusão pode mesmo ir até ao ponto de o fazer achar sublime a linguagem mais ridícula. Fora erro acreditar que a este gênero de obsessão só estão sujeitas as pessoas simples, ignorantes e baldas de senso. Dela não se acham isentos nem os homens de mais espírito, os mais instruídos e os mais inteligentes sob outros aspectos, o que prova que tal aberração é efeito de uma causa estranha, cuja influência eles sofrem. Já dissemos que muito mais graves são as conseqüências da fascinação. Efetivamente, graças à ilusão que dela decorre, o Espírito conduz o indivíduo de quem ele chegou a apoderar-se, como faria com um cego, e pode levá-lo a aceitar as doutrinas mais estranhas, as teorias mais falsas, como se fossem a única expressão da verdade. Ainda mais, pode levá-lo a situações ridículas, comprometedoras e até perigosas. Compreende-se facilmente toda a diferença que existe entre a obsessão simples e a fascinação; compreende-se também que os Espíritos que produzem esses dois efeitos devem diferir de caráter. Na primeira, o Espírito que se agarra à pessoa não passa de um importuno pela sua tenacidade e de quem aquela se impacienta por desembaraçar-se. Na  segunda, a coisa é muito diversa. Para chegar a tais fins, preciso é que o Espírito seja destro, ardiloso e profundamente hipócrita, porquanto não pode operar a mudança e fazer-se acolhido, senão por meio da máscara que toma e de um falso aspecto de virtude. Os grandes termos — caridade, humildade, amor de Deus — lhe servem como que de carta de crédito, porém, através de tudo isso, deixa assar sinais de inferioridade, que só o  fascinado é incapaz de perceber. Por isso mesmo, o que o fascinador mais teme são as pessoas que vêem claro. Daí o consistir a sua tática, quase sempre, em inspirar ao seu intérprete o afastamento de quem quer que lhe possa abrir os olhos. Por esse meio, evitando toda contradição, fica certo de ter razão sempre. Livro dos Médiuns, Capítulo XXIII, Da obsessão, Pergunta 239. "

Abraço.

Gelson Celistre...Obrigado Amigo pela sua Contribuição.



por: Corpo De Luz Carvalho 

Um comentário:

  1. Alem disso faz com que médium, na maioria das vezes diante um publico se deixe levar pelo fascino e aplausos de seus feitos,do outro lado como relatado pelo nosso irmão, são muitos os espíritos no plano astral, que se ocupam desta desta para sugar energias de encarnados desdobrados com seu orgulho e vaidades excessiva nas comunicações mediunicas....Mais um alerta a todos que trilhão o caminho Espiritual

    Corpo de Luz

    ResponderExcluir

Membros do blog